sexta-feira, 28 de abril de 2017

NÃO DEVEREMOS CONTINUAR NA CONTRAMÃO DA SUSTENTABILIDADE - 2017 NÃO PODERÁ SER MAIS UM ANO DE INSENSIBILIDADE AMBIENTAL!

A "Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio" já se tornou uma grandiosa manifestação popular que ocorre há quase um século, no município de Barbalha, no estado do Ceará.


No entanto, o mundo hoje em todas as dimensões quer seja, econômica, social, cultural e ambiental, a sustentabilidade tem sido uma preocupação e uma componente indispensável para garantir o equilíbrio e a disponibilidade dos recursos naturais, que são essenciais para manutenção da vida no planeta.


Mas, como entender e por que será que em Barbalha, o gestor municipal e os responsáveis pelo momento do corte do "Pau da Bandeira", que será o mastro natural, ainda insistem  em mostrar uma total insensibilidade ambiental no sentido de garantir a sustentabilidade do uso das espécies botânicas nativas da Chapada do Araripe? 


Pasmem, um festa que já é considerada um patrimônio imaterial da humanidade, mas que ainda não demonstra espontaneamente, ações de compensação ambiental pois, foi necessário assinar junto ao Ministério  Público Federal, um Termo de Ajuste de Conduta para teoricamente garantir ações de preservação ambiental.


Mas, qual é mesmo o papel de um Termo de Ajuste de Conduta - TAC?
Há mais de 3 anos foi assinado um TAC entre a Prefeitura Municipal de Barbalha e o Ministério Público Federal que entre as suas cláusulas, uma delas é de uma importância fundamental para a compensação ambiental visando minimizar o impacto da utilização de árvores nativas da Área de Proteção Ambiental - APA da Chapada do Araripe. A cláusula era a seguinte:


EXTRAÍDA DO TAC:
"CLÁUSULA QUARTA - O MUNICÍPIO DE BARBALHA compromete-se em estruturar um Horto Florestal nas imediações da sede do município, com o fim de proceder o manejo florestal destinado à extração de árvores destinadas para serem mastro da bandeira dos padroeiros nas festividades culturais da cidade, mormente a Festa de Santo Antônio, o qual deverá estar devidadmente implantado no prazo máximo de 01(um) ano."Este Termo de Ajustamento de Conduta foi assinado em 13 de maio de 2010, junto ao Ministério Público Federal/ Procuradoria da República - Polo Juazeiro do Norte - Iguatu.

MAS, ONDE ESTÁ ESSE HORTO MUNICIPAL EM BARBALHA?
SERÁ QUE IMPLANTAR UM HORTO FLORESTAL É TÃO ONEROSO E COMPLICADO PARA O PODER PÚBLICO MUNICIPAL?

ESPERAMOS QUE COM A MUDANÇA DE GESTÃO ESSA PRÁTICA DE INSENSIBILIDADE AMBIENTAL CONTINUE!!


 Mudas de espécies nativas da Chapada do Araripe, 
 produzidas pela Fundação SOS Chapada do Araripe, 
 utilizando embalagens naturais e sustentáveis.
SERÁ QUE A IMPLANTAÇÃO DO HORTO PRODUZ UM IMPACTO NEGATIVO PARA A NOSSA GRANDIOSA FESTA DE SANTO ANTÔNIO DE BARBALHA?
PROCURA-SE UMA JUSTIFICATIVA PARA O NÃO CUMPRIMENTO DESSE ACORDO JUDICIAL DEMONSTRANDO, ASSIM, UMA ENORME INSENSIBILIDADE AMBIENTAL!!
A SOCIEDADE E AMBIENTALISTAS IRÃO À LUTA... EM BUSCA DA SUSTENTABILIDADE.




Nenhum comentário:

Postar um comentário